A História da E.G.C.

Leo Taxil

Em 1881, um jovem anti‚Äďclericalista chamado Gabriel‚ÄďAntoine Jogand‚ÄďPages foi feito ma√ßon. Dentro de um ano, ele abandonou a Ma√ßonaria, converteu‚Äďse ao Catolicismo e come√ßou uma das mais not√°veis campanhas de propaganda na hist√≥ria do Ocultismo. Sob o pseud√īnimo de Leo Taxil, Jogand publicou um n√ļmero de livros e artigos onde ele ‚Äúprovava‚ÄĚ que a Ma√ßonaria, Rosacrucianismo, Martinismo e outras organiza√ß√Ķes similares eram completamente sat√Ęnicas por natureza, e representavam uma s√©ria amea√ßa √† civiliza√ß√£o europ√©ia crist√£. De acordo com Taxil, todas essas organiza√ß√Ķes eram secretamente controladas pela misteriosa ‚ÄúOrdem do Palladium‚ÄĚ, uma implac√°vel, terr√≠vel e com um corpo extremamente secreto no cora√ß√£o da Ma√ßonaria que adoraria o Dem√īnio com rituais desumanos e receberia comandos diretamente do Pr√≠ncipe da Escurid√£o. Os Paladistas eram alegadamente liderados por Albert Pike, Grande Soberano Comandante do Rito Escoc√™s Antigo e Aceito da Ma√ßonaria, e uma Alta Sacerdotisa chamada Diana Vaughan. Miss Vaughan, uma descendente direta do Alquimista rosacruz Thomas Vaughan do s√©c. XVII, esteve em contato com Taxil. Seu cora√ß√£o evidentemente foi suavizado por um dos tantos sacrif√≠cios de crian√ßas, e ela secretamente escreveu a Taxil para pergunt√°‚Äďlo como ela poderia ser salva. Sua correspond√™ncia tamb√©m revelava muitos segredos chocantes do diab√≥lico mundo do c√≠rculo interno Ma√ß√īnico: simbolismos luciferianos contidos em aparentes inocentes emblemas e frases; grotescos sacrif√≠cios humanos e obscenas orgias f√°licas conduzidas em c√Ęmaras escondidas de infernal adora√ß√£o, encravadas na Rocha de Gibraltar; e terr√≠veis conspira√ß√Ķes para a domina√ß√£o sat√Ęnica do mundo.

Leo TaxilSendo desnecess√°rio dizer, o trabalho de Jogand/Taxil tornou‚Äďse bastante popular. Rapidamente garantiram a ele a aten√ß√£o e complac√™ncia da Igreja Cat√≥lica Romana, e ele obteve at√© mesmo uma audi√™ncia oficial com o Papa Le√£o XII em 1887.

No fim das contas Miss Vaughan, a essa altura famosa mundialmente, decidiu de uma vez por todas renunciar a Sat√£ e se converter ao Catolicismo. A Igreja antecipou avidamente sua introdu√ß√£o p√ļblica, que Jogand/Taxil agendou para 19 de abril de 1897. Para um sal√£o de leitura lotado de cl√©rigos cat√≥licos e ma√ßons, Jogand revelou que Diana Vaughan n√£o era ningu√©m al√©m de sua secret√°ria, e fora isso n√£o havia por que apresent√°‚Äďla, porque ela nunca tinha sido uma Alta Sacerdotisa dos Paladistas. Na verdade, nunca tinha havido uma Ordem do Palladium. Ele, Gabriel Jogand, fabricara toda a hist√≥ria como uma piada monumental √†s custas da Igreja. Ele permanecera um anti‚Äďclericalista como sempre. Os ma√ßons presentes acharam essa revela√ß√£o intensamente divertida. Os cl√©rigos cat√≥licos n√£o. Felizmente para os propriet√°rios do sal√£o de leitura, a pol√≠cia foi chamada antes de uma revolta geral eclodir.

O sucesso de Jogand se deveu, inicialmente, ao seu faro jornal√≠stico e √† credibilidade que ele dispunha como resultado de sua enorme erudi√ß√£o; de todo modo, outro fator significante para seu sucesso foi o astuto recrutamento de um n√ļmero de colaboradores, de forma estrat√©gica e altamente propositada.