A História da O.T.O.

Como um jornalista, Reuss viajava freqüentemente à Inglaterra. Em uma destas viagens ele conheceu Aleister Crowley (Baphomet, 12/10/1875 — 01/12/1947), o qual foi admitido aos três primeiros graus da O.T.O. em 1910. Em 21 de abril de 1912 Reuss deu a Crowley uma patente, gratuitamente, indicando–o como Grande Mestre Nacional Geral X° da O.T.O. para a Grã–Bretanha e Irlanda. A indicação de Crowley incluía autoridade sobre os Ritos de língua Inglesa nos graus inferiores (maçônicos) da O.T.O., aos quais foi dado o nome de Mysteria Mystica Maxima, ou M.·.M.·.M.·..

Em primeiro de junho de 1912, uma Grande Loja Nacional para os países eslavos foi estabelecida por Czeslaw Czynski. Franz Hartman morreu em sete de agosto de 1912. Em setembro de 1912 Reuss publicou a "Edição de Jubileu" do "The Oriflamme", que foi a primeira edição a mencionar a O.T.O. em qualquer detalhe, e foi quase inteiramente devotada a assuntos da O.T.O. Kellner, Reuss e Crowley eram listados como membros de grau X° da O.T.O. Também em 1912 Crowley publicou o "Manifesto da M.·.M.·.M.·." no qual a M.·.M.·.M.·. foi identificada como a seção britânica da O.T.O., a qual "incluía todos os países onde o Inglês fosse largamente falado". A O.T.O. é descrita neste documento como
"...um corpo de iniciados em cujas mãos está concentrada a sabedoria e o conhecimento dos corpos seguintes:
A Igreja Gnóstica Católica.
A Ordem dos Cavaleiros do Espírito Santo.
A Ordem dos Illuminati.
A Ordem do Templo (Cavaleiros Templários).Graal
A Ordem dos Cavaleiros de São João.
A Ordem dos Cavaleiros de Malta.
A Ordem dos Cavaleiros do Santo Sepulcro.
A Igreja Oculta do Santo Graal.
A Ordem Rosacruz
A Fraternidade Hermética da Luz.
A Sagrada Ordem da Rosa Cruz de Heredom.
A Ordem do Sagrado Arco Real de Enoch.
O Antigo e Primitivo Rito da Maçonaria (33 graus).
O Rito de Memphis (97 graus).
O Rito de Mizraim (90 graus).
O Antigo e Aceito Rito Escocês da Maçonaria (33 graus).
O Rito de Swedenborg da Maçonaria.
A Ordem dos Martinistas.
A Ordem de Sat Bhai,
A Ordem Hermética da Golden Down
e muitas outras ordens de mérito igual, se de menos fama."

O Manifesto da M.·.M.·.M.·. também deu o seguinte esquema de organização da Ordem:

O° MINERVAL
I° M.
II° M.
III° M.
PI
IV°, Companheiro do Santo Arco Real de Enoch.
Príncipe de Jerusalém.
Cavaleiro do Leste e do Oeste.
V°, Príncipe Soberano da Rosa Cruz. (Cavaleiro do Pelicano e águia.)
Sócio do Senado de Cavaleiros Filósofos Herméticos, Cavaleiros da águia Vermelha.
VI°, Ilustre Cavaleiro (Templário) da Ordem de Kadosch, e Companheiro do Santo Graal.
Chefe Inquisidor principal, Sócio do Tribunal Principal.
Príncipe do Segredo Real.
VII°, Inspetor General Principal Soberano Muito Ilustre.
Sócio do Conselho Principal Supremo.
VIII°, Pontífice Perfeito dos Illuminati.
IX°, Iniciado do Santuário do Gnosis.
X°, Rex Summus Sanctissimus (o Rei Supremo e mais Santo).

A edição de setembro de 1912 do "The Oriflame" incluiu uma listagem similar de um sistema de dez graus:

I - Prüfling [Probacionista]
II - Minerval
III - Johannis-(Craft-) Freimauer [Artesão maçon]
IV - Schottischer-(Andreas-) Mauer [Maçon escocês]
V - Rose Croix-Mauer
VI - Templer-Rosenkreuzer
VII - Mystischer Templer
VIII - Orientalisher Templer
IX - Vollkommener Illuminat [Perfeito Iluminado]
X - Supremus Rex

Desta forma, em 1912, Crowley e Reuss haviam condensado o sistema da Arte e dos altos–graus maçons em um sistema viável de dez graus numerados que incorporava os ensinamentos e simbolismo de um certo número de sociedades ocultistas e místicas. Os três graus da Academia Maçônica de Kellner formavam os graus VII°, VIII° e IX° deste sistema. O décimo grau (X°), "Rex Summus Sanctissimus", ou "Supremus Rex", designava o Grão Mestre Geral Nacional da O.T.O para um determinado país, região ou grupo lingüístico. A suprema autoridade da Ordem, internacionalmente, era chamada de "Frater Superior" ou Cabeça Externa da Ordem ("Outer Head of the Order" — O.H.O.).

Os Grãos Mestres Gerais Nacionais tinham a autoridade para indicar seus próprios representantes, chamados "Vice–Reis", em outros países de mesmo idioma dominante. Vice–Reis podiam ainda serem levados ao X° pelo O.H.O. Dos Grãos Mestres Gerais Nacionais esperava–se que conduzissem os negócios da O.T.O. de acordo com a Constituição da O.T.O., mas em grande escala fora da supervisão diária do quartel–general internacional ou "Escritório Central".

O Manifesto da M.·.M.·.M.·. incluía fotografias da mansão de Crowley na Escócia, chamada de Boleskine, a qual servia como "Casa de Ofícios" da Ordem. Incluía também uma lista de taxas e mensalidades para cada grau, bem como uma lista de "taxas de afiliação", onde maçons poderiam afiliar–se diretamente no nível correspondente ao seu próprio grau na Maçonaria. Estas listas foram reimpressas na edição de 1914 de "The Oriflamme", junto com os títulos de graus do Manifesto de Crowley traduzidos para o Alemão.

Em 1912, o sistema da O.T.O., apesar de suas várias influências, permanecia principalmente maçônico. Na Edição de Jubileu de "The Oriflamme" Reuss definiu a O.T.O. como "uma ordem não pura e simplesmente maçônica, mas cada membro de nossa Ordem, homem ou mulher... deve proceder através dos graus de artesão da Maçonaria, mesmo aqueles dos mais altos–graus da Maçonaria, antes de serem iluminados e iniciados membros de nossa Ordem." Contudo, a Grande Loja Unida da Inglaterra, a quem Crowley tecnicamente devia aliança, objetou a aceitação de Graus de Artesão na Inglaterra fora de sua jurisdição e objetou a admissão de mulheres na Maçonaria. Ainda assim, Crowley incluiu o seguinte texto em seu Manifesto da M.·.M.·.M.·.:

"A O.T.O., ainda que uma Academia Maçônica, não é um Corpo Maçônico posto conceder os graus de artesão no sentido no qual esta expressão é normalmente entendida na Inglaterra; e assim não há conflitos com ou infração aos justos privilégios da Grande Loja Unida da Inglaterra"

Em 15 de fevereiro de 1913 Crowley adotou uma Constituição para a M.·.M.·.M.·., submetida à Constituição Geral da O.T.O. Em 19 de março de 1913, Crowley e Reuss unidos deram patente a James Thomas Windram(Mercurius, 1877 — 1939) como representante oficial da O.T.O. na África do Sul. Posteriormente, em 1913, visitando Moscou, Crowley compôs a Missa Gnóstica, a qual ele "preparou para o uso da O.T.O. a cerimônia central de sua celebração pública e particular, correspondendo à Missa da Igreja Católica Romana."