Capítulo III

  1. Abrahadabra! a recompensa de Ra Hoor Khut.

  2. Existe divisão daqui até a volta ao lar; há uma palavra não conhecida. O ato de soletrar está morto; tudo não é qualquer coisa. Cuidado! Detende–vos! Erguei o encantamento de Ra–Hoor–Khuit!

  3. Agora que seja entendido antes de tudo que eu sou um deus de Guerra e de Vingança. Eu lidarei duramente com eles.

  4. Escolhei uma ilha!

  5. Fortificai–a!

  6. Adubai–a por todos os lados com maquinaria de guerra!

  7. Eu vos darei um instrumento de guerra.

  8. Com ele deveis golpear os povos; e ninguém ficará de pé diante de vós.

  9. Espreitai! Recuai! Sobre eles! esta é a Lei da Batalha de Conquista: assim deverá ser minha adoração em volta de minha casa secreta.

  10. Toma a própria estela da revelação; coloca–a em teu templo secreto — e esse templo já está corretamente disposto — & ele será tua Kiblah para sempre. Ela não desbotará, mas uma cor miraculosa retornará a ela dia após dia. Feche–a em um vidro trancado como uma prova ao mundo.

  11. Essa deverá ser a tua única prova. Eu proíbo discussões. Conquista! É o suficiente. Eu farei fácil para ti a reconstrução da casa mal–ordenada na Cidade Vitoriosa. Tu mesmo deverás transmitir isso com adoração, ó profeta, embora tu não gostes disso. Tu terás perigos e transtornos. Ra–Hoor–Khu está contigo. Adora–me com fogo & sangue; adora–me com espadas & com lanças. Que a mulher seja ornada com uma espada perante mim, que sangue jorre em meu nome. Pisa com força sobre os Gentios; esteja sobre eles, ó guerreiro, eu te darei da carne deles para comer!

  12. Sacrificai gado, pequeno e grande; depois uma criança.

  13. Mas não agora.

  14. Tu verás essa hora, ó Besta abençoada, e tu, a Concubina Escarlate do desejo dele!

  15. Vós ficareis tristes por conta disso.

  16. Não penseis tão avidamente em agarrar as promessas; não temais sofrer as maldições. Vós, mesmo vós, não conheceis todo esse significado.

  17. Não temais em absoluto, não temais nem homens nem Destinos, nem deuses nem coisa alguma. Dinheiro não temais, nem as risadas da tolice do povo, nem qualquer outro poder no céu ou sobre a terra ou abaixo da terra. Nu é vosso refúgio como Hadit é vossa luz; e eu sou a firmeza, a força e o vigor de vossos braços.

  18. Que a misericórdia esteja fora: condena aqueles que se apiedam! Mata e tortura, não poupes; sê sobre eles!

  19. Essa estela eles chamarão de A Abominação da Desolação; contai bem este nome; & ele será para vós como 718.

  20. Por quê? Por causa da queda do Porquê, que ele não está lá novamente.

  21. Erga minha imagem no Leste: tu deverás comprar para ti uma imagem a qual eu irei mostrar–te, especial, não–diferente daquela que tu conheces. E será subitamente fácil para ti fazer isso.

  22. As outras imagens agrupa ao meu redor para me sustentar: que todas sejam adoradas, pois elas deverão juntar–se para me exaltar. Eu sou o objeto de adoração visível; os outros são secretos; para a Besta & sua Noiva eles são: e para os vencedores do Ordálio x. O que é isso? Tu saberás.

  23. Para fazer perfume mistura farinha & mel & espessas sobras de vinho tinto: então óleo de Abramelin e óleo de oliva, e mais tarde amolece e alisa com sangue fresco e saboroso.

  24. O melhor sangue é o da lua, mensal: depois o sangue fresco de uma criança, ou o gotejado da hóstia do céu: em seguida o dos inimigos; depois o do sacerdote ou dos adoradores: por último o de algum animal, não importa qual.

  25. Isso queimai: disso fazei bolos e comei para mim. Isso terá também um outro uso; que seja colocado diante de mim, e conservado espesso com perfumes de vossa devoção: deverá tornar–se cheio de besouros tanto quanto já o foi, e de coisas rastejantes sagradas para mim.

  26. Imolai esses nomeando vossos inimigos; & eles cairão perante vós.

  27. Eles também gerarão cobiça & poder de cobiça em vós à medida em que comerdes dali.

  28. Vós também sereis fortes na guerra.

  29. Ademais, sejam eles guardados por muito tempo, é melhor; pois eles incham com minha força. Tudo perante mim.

  30. Meu altar é de latão trabalhado: queimai sobre ele em prata ou ouro!

  31. Lá vem um rico homem do Oeste que derramará seu ouro sobre ti.

  32. Do ouro forjai aço!

  33. Estai prontos para fugir ou golpear!

  34. Mas vosso lugar sagrado permanecerá intocado através dos séculos: se bem que com o fogo e a espada ele seja queimado & destroçado, no entanto uma casa invisível lá permanecerá, e deverá permanecer até a queda do Grande Equinócio; quando Hrumachis erguer–se–á e aquele da dupla baqueta assumirá meu trono e lugar. Um outro profeta deverá erguer–se, e trazer febre fresca dos céus; uma outra mulher despertará a volúpia e a adoração da Serpente; uma outra alma de Deus e da besta misturar–se–á no sacerdote englobado, um outro sacrifício maculará a tumba; um outro rei deverá reinar; e a bênção não mais será derramada Ao místico Senhor da cabeça de Falcão.

  35. A metade da palavra de Heru–ra–ha, chamada Hoor–pa–kraat e Ra–Hoor–Khut.

  36. Então disse o profeta ao Deus:

  37. Eu te adoro na canção —
    Eu sou o Senhor de Tebas, e eu
    O inspirado pregador de Mentu;
    Para mim se desvela o velado céu,
    O auto–sacrificado Ankh–af–na–khonsu
    Cujas palavras são a verdade. Eu invoco, eu saúdo
    Tua presença, Ó Ra–Hoor–Khuit!

    A unidade máxima manifestada!
    Eu adoro a força de Teu sopro,
    Supremo e terrível Deus,
    Que fazes os deuses e a morte
    Tremerem diante de Ti:
    Eu, eu te adoro!

    Aparece sobre o trono de Ra!
    Abre os caminhos do Khu!
    Ilumina os caminhos do Ka!
    Os caminhos do Khabs atravessa
    Para excitar–me ou apaziguar–me!
    Aum! Que esse todo me preencha!

  38. Assim tua luz está em mim; & sua chama vermelha é como uma espada em minha mão a promover tua ordem. Há uma porta secreta que eu farei para estabelecer teu caminho em todos os quadrantes, (estas são as adorações, como tu havias escrito), conforme é dito:
    A luz é minha; seus raios consomem
    A mim: Eu fiz uma porta secreta
    Para dentro da Casa de Ra e Tum,
    De Kephra e de Ahathoor.

    Eu sou o teu Tebano, Ó Mentu,
    O profeta Ankh–af–na–khonsu!
    Por Bes–na–Maut no meu peito eu bato;
    Pelo sábio Ta–Nech meu feitiço eu teço.

    Mostra teu esplendor estrelado, Ó Nuit!
    Convida–me à tua Casa para morar,
    Ó alada serpente de luz, Hadit!
    Habita comigo, Ra–Hoor–Khuit!

  39. Tudo isso e um livro para dizer como tu fizeste para chegar até aqui e uma reprodução deste manuscrito para sempre — pois nele está a palavra secreta & não somente em Inglês — e teu comento a respeito do Livro da Lei deverá ser graciosamente impresso em tinta vermelha e preta sobre um belo papel feito à mão; e para cada homem e cada mulher que encontres, seja para jantar ou para beber com eles, esta é a Lei a dar. Então, isso é sem importância. Então eles se arriscarão a permanecer ou não nessa bem–aventurança. Faz isso rapidamente!

  40. Mas e o trabalho do comento? Isso é fácil; e Hadit ardendo em teu coração fará veloz e segura a tua pena.

  41. Estabelece em tua kaaba um escritório: tudo deve ser feito bem e profissionalmente.

  42. Os ordálios tu mesmo supervisionarás, salvo apenas os cegos. A ninguém recuses, mas tu deverás conhecer & destruir os traidores. Eu sou Ra–Hoor–Khuit; e eu sou poderoso para proteger meu servo. O sucesso é a tua prova: não argumentes, não convertas; não fales demasiado! Aqueles que procuram te emboscar, te derrubar, ataca–os sem piedade ou misericórdia; & destrói–os totalmente. Rápido como uma serpente pisada, volta e ataca! Sê mais mortífero que ele! Arrasta suas almas para um terrível tormento: escarnece do medo deles: cospe sobre eles!

  43. Que a Mulher Escarlate se acautele! Se a piedade e a compaixão e a ternura visitarem seu coração; se ela deixar meu trabalho para brincar com velhas doçuras; então minha vingança será conhecida. Eu sacrificarei sua criança para mim: eu alienarei seu coração: eu a arremessarei para fora dos homens: como uma meretriz encolhida e desprezada, ela rastejará através das ruas escuras e úmidas, e morrerá gelada e faminta.

  44. Mas que ela se erga em orgulho! Que ela me siga em meu caminho! Que ela trabalhe a obra da perversidade! Que ela mate seu coração! Que ela seja escandalosa e adúltera! Que ela seja coberta de jóias, e ricos trajes, e que ela seja desavergonhada perante todos os homens!

  45. Então eu a elevarei aos pináculos do poder: então eu gerarei nela uma criança mais poderosa que todos os reis da terra. Eu a preencherei com júbilo: com minha força ela verá & golpeará na adoração de Nu: ela alcançará Hadit.

  46. Eu sou o guerreiro Senhor dos Quarenta: os Oitenta encolhem–se perante mim, & são humilhados. Eu vos trarei a vitória e o júbilo: eu estarei em vossos braços na batalha & vos deliciareis em matar. O sucesso é a vossa prova; a coragem é a vossa armadura; avante, avante em minha força; & vós não retrocedereis por nada!

  47. Este livro deverá ser traduzido para todas as línguas; mas sempre com o original na escrita da Besta; pois na forma casual das letras e suas posições de uma para outra: nisso estão mistérios que nenhuma Besta adivinhará . Que ele não procure tentar; mas um virá após ele, de que lugar eu não digo, que descobrirá a Chave de tudo. Então esta linha traçada é uma chave: então este círculo enquadrado em sua falha é uma chave também. E Abrahadabra. Será a criança dele & isso estranhamente. Que ele não vá atrás disso; pois desse modo ele pode cair sozinho.

  48. Agora esse mistério das letras está feito, e eu quero seguir para o lugar mais sagrado.

  49. Eu estou em uma secreta palavra quádrupla, a blasfêmia contra todos os deuses dos homens.

  50. Amaldiçoai–os! Amaldiçoai–os! Amaldiçoai–os!

  51. Com minha cabeça de Falcão eu bico nos olhos de Jesus enquanto ele está pendurado no alto da cruz.

  52. Eu ruflo minhas asas na face de Maomé & o cego.

  53. Com minhas garras eu arranco fora a carne do Indiano e do Budista, do Mongol e do Din.

  54. Bahlasti! Ompehda! Eu cuspo em vossos credos crapulosos.

  55. Que Maria inviolada seja despedaçada sobre rodas: por causa dela que todas as mulheres castas sejam completamente desprezadas entre vós!

  56. Também por causa da beleza e do amor!

  57. Desprezai também todos os covardes; os soldados profissionais que não ousam lutar, mas brincam; a todos os tolos desprezai!

  58. Mas o audaz e o orgulhoso, o majestoso e o sublime; vós sois irmãos!

  59. Como irmãos lutai!

  60. Não existe lei além de Faze o que tu queres.

  61. Há um fim da palavra do Deus entronado no assento de Rá, iluminando as pilastras da alma.

  62. A Mim fazei reverência! a mim vinde através da tribulação do ordálio, que é felicidade.

  63. O tolo lê este Livro da Lei, e seu comento; & não o entende.

  64. Que ele passe através do primeiro ordálio, & será para ele como prata.

  65. Através do segundo, ouro.

  66. Através do terceiro, pedras de água preciosa.

  67. Através do quarto, derradeiras centelhas do fogo interno.

  68. No entanto para todos parecerá belo. Seus inimigos que não afirmam isso, são meros mentirosos.

  69. Existe o sucesso.

  70. Eu sou o Senhor da Cabeça de Falcão do Silêncio & da Força; minha nêmesis recobre o céu noturno.

  71. Salve! Vós guerreiros gêmeos dos pilares do mundo! pois vossa hora está quase à mão.

  72. Eu sou o Senhor da Dupla Baqueta de Poder; a baqueta da Força de Coph Nia — mas minha mão esquerda está vazia, pois eu esmaguei um Universo; & nada restou.

  73. Prendei as lâminas da direita para a esquerda e do topo para o fundo: então contemplai!

  74. Há um esplendor em meu nome escondido e glorioso, como o sol da meia–noite é sempre o filho.

  75. O fim das palavras é a Palavra Abrahadabra.

O Livro da Lei está Escrito

E oculto

Aum. Ha.